Síndrome respiratória aguda grave em indígenas no contexto da pandemia da COVID-19 no Brasil: uma análise sob a perspectiva da vigilância epidemiológica

dc.contributor.authorSilva, William Nicoleti Turazza da
dc.contributor.authorRosa, Maria Fernanda Prado
dc.contributor.authorMendonça, Kaio Saramago
dc.contributor.authorQueiroz, Giulia de Assis
dc.contributor.authorOliveira, Stefan Vilges de
dc.date.accessioned2021-04-27T02:26:24Z
dc.date.available2021-04-27T02:26:24Z
dc.date.issued2021-02-26
dc.description.abstractAs populações indígenas são mais vulneráveis a infecções respiratórias e enfrentam situações que podem agravar a evolução e o prognóstico da COVID-19. Nesse contexto, identificar os grupos expostos a maior risco e propor estratégias de predição, prevenção e controle são as premissas da vigilância epidemiológica. Objetivo: Analisar o impacto da pandemia da COVID-19 na população indígena brasileira a partir das internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Método: Estudo epidemiológico, descritivo e quantitativo dos casos de SRAG em pacientes autodeclarados indígenas notificados ao Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe) da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) do Brasil, de 1º de janeiro a 16 de junho de 2017, 2018, 2019 e 2020. Resultados: O total de casos de SRAG foi de 688, com 318 confirmados para a COVID-19. Dos pacientes com a SRAG, 237 evoluíram com alta e 211 com óbito. Para a COVID-19, 81 evoluíram com alta e 155 com óbito. Casos e óbitos por SRAG e COVID-19 predominaram no sexo masculino. Houve pico de casos e óbitos entre os menores de 1 ano e entre maiores de 50 anos. Para SRAG, predominaram casos e óbitos rurais e para COVID-19, urbanos. Houve predomínio de casos da SRAG e COVID-19 nos estados do Amazonas, São Paulo e Pará. Já os óbitos predominaram nos estados do Amazonas, Pará e Roraima. Conclusões: As populações ficam sujeitas a situações de maior vulnerabilidade durante a pandemia, constituindo risco para suas saúdes e para o seu patrimônio. Mais pesquisas e ações de vigilância epidemiológica efetivas voltadas para essa população se mostram essenciais.
dc.identifierhttps://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1773
dc.identifier.citationSILVA, W. N. T. da; ROSA, M. F. P.; MENDONÇA, K. S.; QUEIROZ, G. de A.; OLIVEIRA, S. V. de. Síndrome respiratória aguda grave em indígenas no contexto da pandemia da COVID-19 no Brasil: uma análise sob a perspectiva da vigilância epidemiológica. Vigilância Sanitária em Debate: Sociedade, Ciência & Tecnologia (Health Surveillance under Debate: Society, Science & Technology) – Visa em Debate, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 2-11, 2021. Disponível em: https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/1773. Acesso em: 9 set. 2021.
dc.identifier.doi10.22239/2317-269x.01773
dc.identifier.urihttps://repositorio.bvspovosindigenas.fiocruz.br/handle/bvs/4091
dc.language.isopor
dc.publisherFundação Oswaldo Cruz
dc.rightsopen access
dc.sourceC:\Users\Rita\Zotero\storage\PGQJULKE\Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil et al. - 2021 - Síndrome respiratória aguda grave em indígenas no .pdf
dc.subject.decsBrasil
dc.subject.decsEpidemiologia
dc.subject.decsÍndios Sul-Americanos
dc.subject.decsInfecções por Coronavirus
dc.subject.decsPandemias
dc.subject.decsSaúde de Populações Indígenas
dc.subject.decsSíndrome Respiratória Aguda
dc.subject.decsVigilância em Saúde
dc.titleSíndrome respiratória aguda grave em indígenas no contexto da pandemia da COVID-19 no Brasil: uma análise sob a perspectiva da vigilância epidemiológica
dc.typeArticle
Files
Original bundle
Now showing 1 - 1 of 1
Loading...
Thumbnail Image
Name:
Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG, Brasil et al. - 2021 - Síndrome respiratória aguda grave em indígenas no .pdf
Size:
1.1 MB
Format:
Adobe Portable Document Format